fbpx

Demanda por monitor interativo e lousa cresce

Esdras Santana entrevista ao Valor Econômico

Dona de um faturamento expressivo, a paulista MOVPLAN, de soluções para educação, deve iniciar as exportações em 2016. O plano de internacionalização inclui o Chile e a Colômbia. “No próximo ano, vamos investir de 10% a 15% do faturamento anual em pesquisa e desenvolvimento de produtos”, diz o diretor-executivo Esdras Santana.

Sediada em Ribeirão Preto (SP), a empresa de 45 funcionários, fundada em 1998, se especializou em soluções de tecnologia, software e mobiliário para escolas. Fabrica mais de 400 itens em quatro linhas de produtos, com preços de mercado de R$ 8,5 mil a R$ 18 mil. O portfólio inclui lousas interativas, com monitores sensíveis ao toque, em tamanhos de 69, 83 e 94 polegadas. O volume de entrega do equipamento chega a 120 unidades ao mês.

De acordo com Santana, a produção é vendida diretamente pela empresa e por nove parceiros comerciais no Distrito Federal, Minas Gerais, Goiás, Paraíba e Alagoas, além do Mato Grosso do Sul, Paraná, São Paulo e Rio Grande do Sul. O faturamento no ano passado atingiu R$ 18 milhões. “Em 2015, vamos manter o mesmo faturamento, nos protegendo com contratos e parcerias com grupos educacionais”, diz. Os principais clientes da companhia são a Rede COC, Colégio Dom Bosco e Pueri Domus.

Para dinamizar as vendas, contratou quatro executivos comerciais em 2014 e mais quatro profissionais do ramo este ano. Outra estratégia adotada foi a criação de “road shows” para divulgar os produtos em mais cidades. Foram dois eventos realizados em 2014 e cinco em 2015, em São Paulo e Campinas (SP).

Este ano, a empresa fechou uma parceria de distribuição exclusiva para a América do Sul com a TestOut, empresa americana que desenvolve cursos para formação, capacitação e certificação na área de tecnologia da informação (TI). As aulas abordam temas como manutenção de computadores, administração e segurança de redes.

Além da TestOut, a MOVPLAN também selou acordos com outros atores do mercado de educação, como a multinacional Smart, de lousas digitais e projetores interativos; e a brasileira EvoBooks, editora digital de conteúdo educacional que fornece livros-aplicativos em 3D, utilizados em mais de 1,2 mil escolas no país.

De origem familiar, a MOVPLAN começou no mercado de móveis planejados. Hoje, tem uma série de mobiliário estudantil que inclui carteiras, mesas e conjuntos para áreas de recreio. A mudança nos negócios aconteceu após ser convidada por um grupo educacional para desenvolver uma ferramenta de apresentação para professores. Foi quando criou uma lousa digital, um dos principais produtos do catálogo atual.

Na linha de tecnologia, oferece ainda um equipamento móvel para recarregar até 52 notebooks ou tablets ao mesmo tempo, indicado para salas de aula. A máquina é uma aposta da empresa no futuro. De acordo com estudo da Harris Interactive, companhia global de pesquisa de mercado, somente nos Estados Unidos 44% dos estudantes usam algum tipo de dispositivo móvel em classe e 92% deles acreditam que a adoção de tablets na escola vai mudar, nos próximos anos, a forma como aprendem.

Fonte: Valor Econômico

Reportagem de Jacilio Saraiva

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Receba nossos artigos por email